O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Recentes
Arquivo
Arquivo
setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

“CYRANO, MON AMOUR”

O espetáculo foi aplaudido ao final da exibição. Mas não é um teatro filmado. Em 1897, Edmond Rostand (1868-1918) recriou a pompa e circunstância de outro texto teatral, o clássico “Cyrano de Bergerac”, dramaturgo (1619-1655) a quem admirava, quando bateu à época o recorde de bilheteria de teatro de todos os tempos na França. A fórmula de Rostand misturou 10% de ficção a 90% de realidade com fatos em torno de sua vida e na de outros atores, forjando cartas de amor que se tornaram verdadeiras quando pronunciadas por seus personagens, incorporando comentários ouvidos nas ruas e nos bares, a desmistificação dos atores se confrontado às pessoas comuns, até onde a vida real pode se imiscuir na arte. Hoje, o gênero ficção e realidade vem superando a biografia. “Cyrano, mon amour” é o primeiro longa dirigido pelo também ator e roteirista Alexis Michalik (interpreta o dramaturgo Feydeau), sendo baseado em sua peça “Rostand”, encenada por ele em Paris, em 2016. O resultado de cruzamentos e sobreposições em que a realidade atropela a ficção é um movimentado filme dividido entre comédia, romântico e pinceladas de drama que homenageia Rostand e outras figuras do teatro parisiense no final do século XIX, como a atriz Sarah Bernhardt. Cujo concubinato entre a sétima arte e o teatro nos enche de prazer e encanto, até por dividir com o respeitável público toda a intimidade da dramaturgia francesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias