O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Recentes
Arquivo
Arquivo
abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

EVOLUÇÃO

Acostumado a lidar com crocodilos, cobras e aranhas venenosas, Steve Irwin teve sua vida interrompida quando acidentalmente pisou numa arraia. Elas amam se fazer de invisíveis, misturadas à areia do solo marinho, e reagem quando se sentem atacadas com o rabo que porta um estilete serrilhado que chega a medir vinte centímetros. O golpe foi direto no coração. Azar? Nem tanto, para quem brincava com fogo ao pretender transformar um crocodilo em cachorro, fazendo-o dar saltos na tentativa de alcançar um suculento frango.
Acostumado a conviver durante treze anos com ursos selvagens no Alasca, Timothy Treadwell foi devorado juntamente com sua namorada por um deles, que os atacou dentro da barraca, num embate velado por domínio do território. Treadwell ganhou fama mundial por invadir o espaço dos ursos e forçar contato, desprotegido, de uma forma que os esquimós sempre evitaram.
Qual é a serventia de se impor um retorno ao primitivismo unicamente para negar a condição de ser social do indivíduo? Pois se descobriram que os astecas devoraram os conquistadores espanhóis em represália a terem se iludido com Cortez, o deus anunciado. Sua chegada seria um presente dos céus. O início da colonização de uma impressionante cultura existente na América, a exemplo dos maias e incas, dizimada por uma civilização que trazia no bojo armas de fogo e varíola. Com Montezuma encarcerado, capturaram uma caravana de colonizadores, transformando-os num suprimento de comida que durou seis meses.
Que os astecas praticavam sacrifícios humanos é bem sabido. Esperava-se de cada membro da sociedade que fosse capaz de se oferecer em imolação. O escolhido era içado até o topo de uma pirâmide, onde sacerdotes abriam seu peito e retiravam o coração, que seria então ofertado aos deuses.
Com a Natureza não se brinca, não adianta o homem pretender criar uma natureza harmoniosa e pacífica, quando os ursos machos matam seus próprios filhotes para interromper a lactação das fêmeas e torná-las disponíveis para copular. Não que os sonhadores sejam necessariamente umas bestas só porque um dia fracassam. Foram eles que reverteram nossa condição inexorável de vivermos como bichos e lançaram a pedra fundamental da humanidade. Impossível ser feliz sozinho imerso na avareza do sentimento. Apesar da inevitabilidade da morte, existe uma esperança de felicidade no pôr-do-sol. A melhor hora para se reproduzir, ao som da Ave-Maria.
É a evolução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antonio Carlos Gaio
Categorias