O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Arquivo
Arquivo
maio 2021
D S T Q Q S S
« abr    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

SE MAL UTILIZOU, UM DIA LHE FALTARÁ

Nem todos os sonhos e desejos humanos se realizam. No rodar de uma única existência, sempre há certas dificuldades incontornáveis. Desde a infância, ou a partir de dado momento, uma marcante fragilidade física, a braços com dores e enfermidades. Não alcançar sucesso profissional ou tranquilidade financeira. Inibições torturantes. Tomado de profunda timidez, não conseguir falar em público. A realização afetiva, um paraíso distante. Ou então apresentar bloqueios e dificuldades sexuais.
Desafios que, sendo possível, o homem deve superar para viver bem, preservar-se da dor e ser feliz. Já que o imperativo da lei de conservação é furtar-se a experiências dolorosas, cujo desconforto pode acompanhar a criatura, talvez por toda a sua vida.
Não cabe se amargurar nem se revoltar com os desígnios da Providência Divina se originaram-se de um meio que não lhe propiciou educação e formação para encarar a vida. Se foi privado de algo que em mãos de outrem vai lhe dar outro destino.
A respeito de privações, Jesus Cristo asseverou que se a mão, o pé ou o olho de alguém for motivo de insatisfação, mais vale extirpá-lo do que perder seu rumo na vida. A contundente afirmação se refere à má utilização de alguns recursos que caem nas mãos do ser humano e ele os desperdiça ao não priorizar objetivos eternos, mesmo que à custa de alguns sacrifícios passageiros. Prejudicando a evolução do Espírito que anima incontáveis corpos físicos em sua jornada pela eternidade.
Chega a se viciar em determinados equívocos. Por exemplo, ao menor contato com a riqueza, já se torna arrogante e egoísta. Acha-se superior aos pobres e não lhes estende as mãos. Ou então afeiçoa-se ao hábito de noitadas, consumindo sua saúde em loucuras, comendo e bebendo demais. Dotado de beleza física, reverte em sedução e infelicidade dos que o admiram.
De que adianta ser tão desvairado? De retorno ao mundo espiritual, percebe-se miseravelmente frustrado. Compreende que utilizou muito mal os talentos e os meios que recebeu. Então, a fim de aprender a valorizá-los, programa uma nova existência na qual será privado do que malbaratou em outra vida.
Assim é se o que lhe falta hoje, pode ter sido abundante em vida pretérita e desperdiçou a chance. O que lhe foi retirado constitui um tratamento espiritual, um processo educativo, e não uma injustiça porque nasceu pobre ou desprovido de meios que julga que a maior parte das pessoas tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias