O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Arquivo
Arquivo
maio 2022
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

“MARIGHELLA”

Marighella, o filme. A tortura que saía pelo ladrão durante a ditadura militar até hoje perdura na boca imunda de um presidente da República que enaltece torturador. Filme longo que foi objeto de censura e perseguição pelo governo Bolsonaro. As torturas abundam em nossos dias sobre corpos pobres e pretos, que constituem a maioria da população prisional. Marighella foi deputado federal quando o Partido Comunista estava na legalidade, além de poeta, escritor e guerrilheiro contra a ditadura militar. O Brasil havia sofrido um golpe em 1964 com a tomada de poder pelos militares, sustentado pelo governo norte-americano, sob o pretexto de se prevenir do comunismo e permanecer por um tempo curto, até a situação se estabilizar. Mentira, igual a tantas que o Bolsonaro elimina pelo intestino e pela boca, seguida por muitas cenas de ação, tiroteio, perseguição policial, assalto a banco, delações e traições, complôs internacionais. Personagens fictícios como o inspirado no inspetor Fleury, muito bem caracterizado por Bruno Gagliasso, além do episódio do assassínio do oficial do Exército dos Estados Unidos, Charles Rodney Chandler, professor de tortura no Vietnã, Uruguai e Brasil. O único personagem autêntico é Marighella, em atuação sensível de Seu Jorge, marcado pela convicção inabalável na necessidade de lutar contra as forças opressoras, majoritárias e oficiais, de ontem e de hoje. Bem captado pela direção sempre direta ao ponto do diretor Wagner Moura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias