O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Arquivo
Arquivo
abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

A VERDADEIRA OPOSIÇÃO

Não há motivo para os tradicionais eleitores quatrocentões rejeitarem Lula, equiparando-o a Fidel Castro – barba, cabelo e bigode -, pois o comunismo, como muro das lamentações, ruiu e doeu no bolso de quem ficou desempregado, seja da direita ou da esquerda, civil ou militar, paulista ou nordestino.
Não há necessidade de reeditar a dupla Tancredo Neves e Sarney através da chapa Aecinho e Roseana, simpáticos, lindos e jovens, mal disfarçando a manipulação de um dos critérios que empurrou o eleitorado a votar nos últimos dez anos para presidente: a aparência, que é tudo no imaginário popular, dissimulando a submissão à discriminação.
Não há mais razão de se apelar em campanha para seqüestros, som 3 em 1, Mários Amatos, onda esquerdizante, maquiagem em telejornal, planos reais e cruzados no queixo. Tanto isso é verdade que esses dinossauros, órfãos do Jânio e viúvas do Lacerda, saudosos do perigo vermelho e carentes de um bode expiatório, se rejubilaram com a “lightenização” do PT.
A verdadeira oposição é o procurador Luiz Francisco, do Ministério Público Federal, comparado ao Quasímodo de Notre-Dame pela coragem em se expor, e ao país, como capacho do FMI que em acordos secretos consolida a pior distribuição de renda do mundo, o menor salário-mínimo da América Latina, o maior número de acidentes de trabalho e de latifúndios do planeta. No paraíso fiscal nº 1 em que sonegador não vai preso e procuradores são gaveteiros e teleguiados, segurança nacional é confundida com segurança do capital, e sem direito a greve, policiais seriam reduzidos a espantalhos que apenas afugentam os pássaros, que logo voam. 
Oposições que saem de dentro do próprio Governo tal como Goya previra no seu Saturno devorado pelo próprio filho. Como Adrienne Senna no comando da COAF, órgão de inteligência financeira do Ministério da Fazenda, que rompeu com o silêncio que carimbava a lavagem do dinheiro, tão ancestral quanto o capitalismo. Ao trocar informações com os 53 países da GAFI, organização internacional que investiga as lavanderias que tiram o encardido do dinheiro da corrupção, descobriu US$ 200 milhões na conta do capo Paolo Maluf na ilha Jersey, paraíso fiscal do Canal da Mancha. Só pode ser retaliação!  
A verdadeira oposição que chacoalha com o balacobaco dos políticos e abala as estruturas dos palácios dos poderes é o MST, que ocupa órgãos públicos, terras griladas de governadores, propriedades desapropriadas sob interesses inconfessáveis, e até a fazendola do presidente, causando indigestão na UDR, deitada no berço de uma reforma agrária em que 80% da população mora no litoral, ao ter abandonado o cultivo do continente – que é o Brasil – para deixar o boi pastar e “nóis vê”, sem dar um pio.
Amigos como esses eu não quero nem para inimigos, inimigos como esses não dá para negociar nem como se amigos fossem, é IRA pra valer em plena arena de palestinos e judeus, fazendo com que o situacionismo esbraveje quanto a grampos, câmeras ocultas e quebra de sigilo que firam sua privacidade e revelem a grade da programação prevista para nos manter como cordeirinhos a dizer amém.
Não se mexe em time que está ganhando, se difícil for a escolha de candidatos para peitar Lula, força-se a barra e tira-se partido da reeleição. Vá até o passado e pince um de sua preferência. Osmose nele!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antonio Carlos Gaio
Categorias