O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Recentes
Arquivo
Arquivo
julho 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Mariana Valle

MINHA CICATRIZ

Minha cicatriz tem alto relevo.
Ela me diz e eu vejo
que desejos podem ser verdades e maldades.

Ela tem minha idade,
pois nasci da dor do corte
do cordão da barriga de outro alguém.

A cicatriz da atriz
não… Continue lendo

MIL VIDAS

A essência é única e exclusiva,
mas a vida não é uma só.
Lá se foi o tempo em que eu sentia dó de mim.
Hoje, me reinvento quando não estou assim, feliz.

A tristeza é necessária. Tem um recado… Continue lendo

DEPRESSÃO

Quando a tal da depressão vem,
não é frescura, nem do nada, meu bem.
É o auge da pressão sobre o bem
que algum mal vem fazendo a quem a tem.

Não é um simples mal externo,
uma falta de… Continue lendo

PARA UMA ARTISTA

(Para @rosangelaeusou)

Como uma flor desenhada
pelo lápis de Deus,
a arte dos traços meus
não tem preço,
mas tem valor.

Mereço receber mais do que dou,
mas me doou, porque faz parte de mim.
Enxergo arte e beleza no… Continue lendo

VIDA DE ARTISTA

(Escrito para Magno Souza)

Vida de artista não é fácil
como pensam que é.
Criatividade não é tátil
como um serviço qualquer.

Fazer arte dá trabalho.
É uma profissão.
Se soubessem o quanto eu ralo,
não duvidariam não.

Falta ao… Continue lendo

VOCÊ JÁ SURFOU HOJE?

(escrito para Flávio Pingariho)

Boletos que não param de chegar,
preços de tudo aumentando sem parar
e o trabalho que não dá conta.
Ainda bem que eu surfei hoje…

A gente faz as contas,
aperta aqui e acolá,
acumula funcões… Continue lendo

FIZ 50 ANOS. E AGORA?

(poema encomendado pelo amigo André Brito)

Fiz 50 anos. E agora?
Cadê aqueles planos de outrora?
Eu teria chegado aqui
se tivesse vivido como imaginei?
Saberia eu agora tudo aquilo que hoje eu sei?

Quando criança,
pensava que crescer era… Continue lendo

AMIZADE DE JARDIM DE INFÂNCIA

(Encomendado por Helena)

Ah, que saudade do jardim de infância!
Quando a gente era criança
e eu não sabia o que era a poesia.
Não conhecíamos a palavra esperança.
A gente não esperava nada,
ia lá e fazia.

As amizades… Continue lendo

LEGÍTIMA DEFESA DA NATUREZA

A natureza age em legítima defesa,
como bem disse Nizan Guanaes.
Mas o homem já não se defende mais
na busca cega pelo dinheiro.
Destrói tudo e a si mesmo,
o tempo inteiro,
sem olhar pra trás.

Natureza não é… Continue lendo

MEMÓRIA DO CORPO

A memória do meu corpo tem doença,
mas também tem dança.
A doença vem do que a gente pensa,
mas a dança, ah…
A dança vem da minha criança
que se encanta com o movimento da música na pele, arrepiada… Continue lendo

O QUE CONSEGUIMOS SER

A gente é o que consegue
ser no momento.
Momentos se vão,
novos momentos vêm,
constante movimento.
Às vezes ligeiro,
noutras lento.
Ninguém é igual
o tempo inteiro.
E tá tudo bem,
mesmo quando não está.
Não preciso me desculpar.

AS VEIAS DOS VENTOS

A beleza do céu ao entardecer soberano
Acima do caos de cimento urbano nos chama
A buscar o que vale a pena
No movimento da vida sem fim

Mãe Natureza tão plena
Eterno pulsar das veias dos ventos
Lá fora e dentro de mim

ALGORITMO E O LUGAR DE CADA UM

Sabe o que é o algoritmo?
O algo no ritmo que você escolheu.
Se você não entende, nem eu,
não sei nada de tecnologia,
mas na lógica do dia a dia,
a internet não é diferente da vida.

Cálculos matemáticos… Continue lendo

NÃO POSSO ME CALAR

Há beleza no descontentamento que sangra em poesia.
Sempre reverbera numa maioria.

Falar de como é fácil superar,
embora não seja fácil,
soa meio pedante,
como quem joga na cara da sociedade
seus privilégios arrogantes.

O bagulho é sério.
O… Continue lendo

FELIZ COM O QUE ESTOU

não tenho ainda
tudo que posso
meus esforços
não eram astutos
atirando pra todo lado

iam na direção contrária
ignorante que era
inconsciente da própria fera
que sabe sim lutar
quando reconhece seu lugar
e o toma na garra

hoje… Continue lendo

A OXUM EM MIM

*Inspirada em post de @andarasuburbana

O som do tambor
Ecoa dentro de mim
Chama que acende
Das entranhas pro peito
Bolas de fogo explodindo
Daquele jeito que é só meu
Transborda, extrapola a bola
Rebola que gosta, se enrosca

O… Continue lendo

A MAIOR DÍVIDA

A maior dívida
É com a vida
A indevida dúvida
A falta de fé

Se a vida te deu pés e mãos
Um cérebro, um pulmão
Você já tem tudo
O lance é respirar
Um sopro de ar por vez… Continue lendo

FAVELA

Vejo da janela
As luzes da favela
Rasgando o morro
Sem pedir licença
A existência é assim
E não hesita
Diante dos fatos

No meio do mato
Fogos e fogo
Chuva no lodo
Alagamento
Estamos todos
Lado a lado
Sobrevivendo… Continue lendo

DESAPEGO

Não temos nada nem ninguém
Nada nem ninguém nos tem
Não abemos nem até quando vivos
E se há outra vida depois desta
Se vamos além

Cultivo então o desapego
Difícil, não nego
Mas necessário também

Quando me desapego
Abro… Continue lendo

É DE PROPÓSITO: 14 – ABISMOS

Quando eu cismo com o abismo, cometo absurdos, surda pro que está dentro e fora de mim. É uma espiral sem fim de pensamentos recorrentes, crentes de si. Enchentes de “nãos” para mim, quando tudo o que eu precisava era… Continue lendo

SE TOCA

não me toque
não te dei o token
para desbloquear o seu acesso

a tela da minha pele
não habilita o touch
pra qualquer mera digital

AREIA MOVEDIÇA

Há lugares, pessoas e eventos
Que parecem areia movediça
Em alguns momentos
Mas é nosso pensamento
Que nos liberta
Tudo acontece aqui dentro
Entre o peito e a testa

ETERNIDADE

Eterna é a idade em que se vive o momento presente
O tempo passa e não se sente
O amanhã nunca chega pra gente

Não dá pra falar de não existir, ou morrer
Do ponto de vista de quem só… Continue lendo

EU RIO

Esse rio que corre aqui dentro
Quando não escorre pelos dedos
Vira cimento na garganta
E nada adianta fazer para ele escoar
Areia movediça é o que há
Se não escrevo
Quando poetizo, viro mar

TESTAMENTO

Quando houver chegado o momento
De eu fazer um testamento

Não sei nem se farei a tempo
Não tenho a mínima ideia de quando o vento
Vai me levar daqui
Qualquer um pode partir sem aviso
A qualquer hora sumir… Continue lendo

Antonio Carlos Gaio
Categorias