O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Arquivo
Arquivo
abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

PRETENSÃO

Quando a gente abandona
a pretensão de ser perfeito
descarta a pré-tensão por algo
que nunca será feito

A gente vira dona,
e o gênero é detalhe,
da nossa história
limpando a memória
de m’águas passadas
pelo que não se fez
ou talvez teria feito diferente

Não faria, sabe por quê?
Se faria, já não fiz, passou
E, se passou, tudo mudou
Eu não posso voltar lá
Naquele tempo
Que se transformou no hoje
Isso tá muito longe
Eu era eu, mas estava outra
O presente é que é o verdadeiro presente
Que a gente ganha todos os dias
Para escolher e ir
Pra onde a gente quer

Ninguém pode pisar
Com o meu pé
Nem a minha versão de ontem
Ou de amanhã

Posso sonhar, traçar metas
Mas a seta quando chega no destino
Já está em desalinho
Com o traçado da origem
O que encosta lá
Não tem o mesmo formato
da linha que se começou a desenhar
Do lado de cá

É a ponta da flecha
Que a gente mira
E nem sempre acerta
Onde imaginava

O destino, às vezes,
Também tem asas
Que independem da gente

Abandonar pretensões é criar extensões
Para o próprio poder
A gente vai muito mais longe
Quando aceita perder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antonio Carlos Gaio
Categorias