O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Recentes
Arquivo
Arquivo
março 2020
D S T Q Q S S
« fev    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

CAPÍTULO XCVII – ABUSO DE AUTORIDADE

Aquele investido de autoridade não pode desprezar nenhum dos que estão abaixo dele, já que as diferenças sociais não existem perante Deus e só se encontram no plano terrestre. O Espiritismo o previne, se hoje eles lhe obedecem, já puderam tê-lo comandado ou, no futuro, poderão vir a lhe dar ordens. E, então, será tratado como os tratou.
Todo homem tem na Terra uma missão pequena ou grande, e desviá-la de seu verdadeiro sentido é fracassar no seu cumprimento. Se Deus te deu subordinados, não foi para fazer deles escravos de tua vontade, nem instrumentos dóceis dos teus caprichos ou de tua ambição. Se te fez forte e te confiou, sob teu comando, quem exerça papel secundário, foi para que, amparando-os, os ajudasse a crescer, chegando até Deus.
A nonagésima sétima intervenção espiritual, em 14 de fevereiro de 2020, foi realizada em minha residência por ter sido detectada interferência espiritual, pela quarta vez. Sob a égide da leitura e estudo preliminar sobre o item 9 (“Os superiores e os inferiores”) do capítulo 17 (“Sede perfeitos”) do livro de Allan Kardec, “O Evangelho segundo o Espiritismo”.
Deus concede o poder da autoridade a título de missão ou de prova, não sendo um privilégio ou um pertencimento, pois pode lhe ser retirado se, da delegação que terá de prestar contas, se investir do vão prazer de mandar como um direito ou uma propriedade. Não deve se esquecer de que é um encarregado de almas e responderá pela boa ou má orientação que der a seus subordinados. Vai arcar com as culpas das faltas em consequência de sua orientação, mas também colherá os frutos por conduzi-los ao bem.
Se o superior tem deveres a cumprir, o subordinado também os tem, e não menos sagrados. Não deve pagar o mal com negligência caso seu chefe não cumprir com o que lhe compete – as faltas de um não justificam as faltas de outros. Se sofre na sua condição de subalterno é porque pode já ter igualmente abusado da autoridade que também teve e agora deve sentir, por sua vez, os inconvenientes daquilo que fez os outros sofrerem. O Espiritismo lhe ensina a resignar-se como uma prova necessária para sua humildade, necessária a seu adiantamento espiritual. Todo desvio do caminho correto é uma dívida que irá pagar cedo ou tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias