O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Recentes
Arquivo
Arquivo
agosto 2020
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

MÉTODO DE ASSOCIAÇÃO LIVRE

Registre-se para os devidos fins.

O Método de Associação Livre de que me servi para tornar-me escritor originou-se do meu primeiro livro, “Lirismo e Truculência”, em 1983, escrito aos rompantes e borbotões como que psicografado. Capítulos, longos e inteiros, sem interrupção, a demandar a recuperação de um tempo perdido, seguramente desde meu frescor juvenil, sustado pela necessidade precoce de ser adulto.

Eis que um hiato se abateu sobre mim e retomei a prosa somente em 1992, quando numa oficina literária, surpreendendo a todos, professor e alunos, apliquei o método de associação livre, que consiste em desenvolver rapidamente o tema em dois ou três parágrafos, pouco menos de uma página, sem elucubrar muito ou buscar perfeccionismo ou mesmo zero de espírito crítico, conforme vai sendo soprado em meus ouvidos, para finalizar o texto de caso pensado, almejando, sem fechar questão, um caráter lógico na associação livre – na impossibilidade, a anarquia continua a preponderar.

Prontas as secções, vou aparando os excessos, geralmente poucos, procurando linkar o texto, amarrar as pontas, sem organizá-lo muito, senão inibe a liberdade do conteúdo. Jamais hesitando mergulhar no desconhecido, temendo ficar tetraplégico. Vislumbrando o que está invisível. Sem distrair-me ao visualizar imagens, evitando fechar janelas no horizonte em minha egotrip divertida e, ao mesmo tempo, produtiva.

Incansavelmente curioso, vejo beleza em tudo ao avançar pelo simples prazer da busca, demonstrando fome por novidades ao conservar a capacidade de me maravilhar, como só e acontece com as crianças. A sensibilidade aflorada ajuda a obter percepções mais sutis e abrir o canal para o que a alma tem a dizer.

Eu, até hoje, constantemente faço uso do Método da Associação Livre em minhas crônicas e croniquetas, se relacionadas a temas a serem esgotados numa folha de papel. Eventualmente em trechos de livros. Embora reconheça ser um método extremamente personalista, inviável padronizá-lo.

Encaminhe-se para o arquivo morto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias