O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Recentes
Arquivo
Arquivo
julho 2018
D S T Q Q S S
« jun    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
 
 

O ESTADO ISLÂMICO QUE O CRIVELLA CONSTRÓI NO RIO DE JANEIRO

O prefeito Crivella procura construir um Estado crente à semelhança do Estado Islâmico – já destruído, por sinal. Quando somos um Estado laico em que nenhuma religião deve prevalecer sobre as outras nem se misturar com política. Ele reuniu no Palácio da Cidade 250 pastores, a 3 meses das eleições e a 20 dias das convenções partidárias, para assegurar-lhes acesso mais rápido a cirurgias de cataratas, varizes e vasectomia, além de uma série de benefícios que os membros das igrejas evangélicas podem obter, assim como garantir isenção de IPTU para salões de culto alugados. Basta procurar as pessoas certas na prefeitura, pois os diretores de toda a rede hospitalar federal e municipal já estão conversados. Crivella salientou que deve ser aproveitada essa chance que Deus deu à comunidade crente para ele estar na prefeitura e arrumar suas igrejas. Que já é um sacrifício muito grande militar na política, a que não se pode fugir, pois só o povo evangélico pode mudar esse país. Meio esse em que não existe corrupção, onde os pastores recebem o dinheiro do povo (os dízimos) para levar ao escritório, contar tudo e levantar as casas de Deus. É esse Brasil evangélico que vai dar jeito na pátria e libertá-la da corrupção, segundo Crivella. Quando o que está se criando é um sistema clientelista explícito a partir de uma máquina pública voltada para atender seu público preferencial, de modo a expandir sua religião e interferir no resultado das eleições. Completamente idêntico à atuação da classe política na sua maior parte, alguns condenados e cassados pela Justiça Eleitoral. Todos sempre falando em nome da família e de Deus, numa cruzada religiosa contra a corrupção – o mote para mentir e roubar, evidenciado no impeachment de Dilma. Julgam, dessa forma, um dia serem absolvidos de tanta sordidez e degeneração de propósitos. Que mau juízo os pastores fazem do eleitorado! Pensam que é uma cambada de despreparados, fáceis de serem enganados e explorados. Que falta de cuidado dos pastores com a sua alma!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Categorias
Crônicas agrupadas por ano