O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Arquivo
Arquivo
setembro 2020
D S T Q Q S S
« ago    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

O SOL NUNCA DEIXA DE EXISTIR

Quando está nublado
Ainda há sol brilhando.
Ele está do outro lado da nuvem,
A gente só não vê.

Mas isso não significa
Que ele não existe,
Que não vá reaparecer.

Assim é a felicidade
Que está dentro de você,
Mesmo quando tudo parece desabar,
Quando a lágrima insiste em rolar.
Lágrima é a nuvem que evapora.
Depois que vai embora,
Deixa o sol aparecer.

O que acontece lá fora,
Ou até com a gente,
É muito diferente do que a gente sente,
Do que a gente pensa.
Pensamentos são como nuvens,
Não nos deixam ver o sol.

Não são a realidade
Que a gente pensa,
Que a gente inventa.

A gente inventa muito.
E, enquanto isso, as coisas acontecem
E a gente não vê.

Enquanto eu converso com minha mente
Não aproveito a dádiva da vida à minha frente,
A energia pulsante dentro de mim.

Vivemos plenos de afazeres,
Compromissos e deveres
Mas não prestamos atenção plena.
Só tensão,
Pouco tesão,
Muita confusão.

Calma!
A dor nunca vai passar
Enquanto você insistir em criá-la.
Percebe que ela não é você?
Que é apenas um bebê
Gerado em sua mente?

Quando você era criança
Não fazia diferente?
Não queria só brincar?
Quando foi que você desaprendeu de sorrir?
Foi quando tentaram te castrar?
Quando limitaram seu andar
Com medo de você cair?
Ou quando disseram
Que você nunca ia conseguir?

Não importa qual seja a situação,
Todos tivemos nossos “nãos”.
Desaprendemos de simplesmente ser
E nos prendemos ao que nos obrigaram a fazer.
Nos atemos à lavagem cerebral
Dos pais, da escola,
Da sociedade em geral.

Onde está você
É o que quero saber.
Não aquele que quiseram moldar,
Mas o verdadeiro eu que ainda existe
Em algum lugar.

Cada um de nós
Tem um diferente “eu”
Para chamar de seu.

Então pra mim já deu
De esquecer o que me faz me amar,
De deixar o outro entrar no meu lugar.

Eu sou só minha
E sou plena.
Não estou sozinha
Nesta quarentena.
Estamos todos pequenos
Diante do imprevisível,
Mas se nos encontramos
Tão sensíveis
É porque ousamos viver,
E isso, por si só,
É muito maior
Do que pode parecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias