O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Arquivo
Arquivo
março 2019
D S T Q Q S S
« fev    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

FRANÇA 1×0 BÉLGICA (SEMIFINAIS)

França, Bélgica e Inglaterra confirmaram seu favoritismo independente dos países tradicionalmente apontados como campeões (Brasil, Alemanha, Espanha, Argentina), ao chegarem nas semifinais.

Porém, de que adiantou a Bélgica eliminar o Brasil? Se não soube vencer o forte esquema defensivo da França, que eliminou uruguaios e belgas (quarta e semifinal) pela contagem mínima com gols de zagueiro (Varane e Umtiti), e goleou a Argentina por 4×3 (oitava). A Bélgica é conhecida por nunca confirmar o seu retrospecto, mas eliminou o Brasil, o seu grande feito na Copa de 2018.

A França só tem um título de campeã do mundo, e em casa, em 1998 – a Copa conhecida pelo Ronaldo Fenômeno ter sofrido uma crise epiléptica nunca esclarecida no dia da final. Vão ser três finais em 20 anos para a França tirar a cisma do vice em 2006, a Copa conhecida pelo Zidane ter sido expulso na prorrogação da final, ao dar uma inexplicável cabeçada no Materazzi e proporcionar o quarto título à Itália. A França eliminou 3 grandes adversários, Argentina, Uruguai e Bélgica, para chegar a finalista em 2018, mas vem de ser derrotada por Portugal em casa, na disputa pelo campeonato europeu de seleções, em 2016.

Croácia bateu com grande bravura a Inglaterra por 2×1, saindo atrás e virando o placar na prorrogação, mesmo vinda de eliminar a Dinamarca (oitava) e Rússia (quarta) somente nos pênaltis. O cansaço normal não impediu o triunfo heroico da Croácia e pelo menos não teve de enfrentar nova disputa em pênalti. É a primeira vez que a Croácia chega à final de uma Copa do Mundo. A moda de técnico interino não foi inventada no Brasil, já que o treinador Zlatko Dalic foi contratado em outubro de 2017 para tentar a ida da Croácia à Rússia no último minuto da prorrogação, classificando-se na repescagem. A Inglaterra decepcionou por ter gerado muita expectativa com sua equipe extremamente jovem, mas que não suportou a pressão de uma semifinal e não conseguiu reproduzir seu padrão de jogo. O artilheiro Kane foi o retrato vivo desse baixo rendimento. Enquanto o conjunto croata impressionou por seu entendimento em todas as linhas, pelo apuro técnico e ao não se desfazer da bola de qualquer maneira.

Na Copa do Mundo na Rússia, a Copa das surpresas, seria um assombro a Croácia se sagrar campeã do mundo diante da grande favorita, a França.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias