O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Recentes
Arquivo
Arquivo
junho 2024
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

SANTA RITA DE CÁSSIA

Uma belíssima história de um grande Espírito que deixou sua trajetória gravada para todo o sempre.
Existe um abismo entre o que a gente é cotidianamente e o que sonhamos ser. Santa Rita de Cássia nasceu em 1381 em Úmbria (Itália). Religiosa ainda jovem, desejava ingressar numa ordem e entregar sua vida totalmente a Cristo. Acabou cedendo aos constantes pedidos dos seus pais, casando-se com um dos cavaleiros mais ricos e poderosos da região. Nos primeiros anos de seu casamento, Rita constatou que ele era um homem violento e irascível, tendo inúmeros inimigos na região de Cássia. No entanto, ela não desanimou e suportou seus insultos, abusos e infidelidades por muitos anos, orando a Deus por sua conversão. Com o tempo, ele se tornou um bom marido e até renunciando a uma antiga disputa familiar conhecida na época como “la vendetta”. Contudo, inesperadamente, seu marido foi brutalmente assassinado por um membro da família adversária, tornando-se muito cedo viúva com dois filhos pequenos por criar. Durante o funeral, publicamente, Rita perdoou os assassinos de seu marido. O seu cunhado, porém, convenceu os filhos de Rita, quando estes cresceram, a se vingarem da morte do pai, aceitando-o como tutor e abandonando a casa de sua mãe para ir morar com ele na mansão da família. Temendo que seus filhos conspurcassem suas almas, Rita pediu fervorosamente a Deus para que antecipasse o retorno espiritual de seus filhos, a fim de evitar que se transformassem em justiceiros assassinos. E Deus assim o fez, sem que nada pesasse sobre suas almas. Rita, então, quis ingressar no mosteiro de Santa Maria Madalena em Cássia, mas foi recusada. Embora reconhecendo o bom caráter e a alma piedosa de Rita, as freiras tinham medo de seu histórico de vida associado ao escândalo da morte encomendada de seu marido. Novamente recorrendo à oração, Rita implorou a Deus, sendo, numa noite bem escura, transportada por seus três santos de devoção para dentro do convento, mesmo com todas as portas fechadas, e assim admitida pela Madre Superiora tempos depois. Uma vez religiosa, Rita dedicou-se à tarefa de promover a paz entre as partes hostis de Cássia, conseguindo resolver as disputas intestinas entre famílias que lhe custara o marido e os filhos, além da cura de seu cunhado, infectado pela peste negra que consumia a Europa inteira. Exemplo de mãe, esposa e religiosa, Santa Rita de Cássia realizou muitos milagres, morrendo em 1457.
Tende cuidado para guardar-vos de toda avareza, pois em qualquer abundância que o homem se encontre refestelado, sua vida não depende dos bens que possui. Mas o que farei se não tenho lugar para guardar tudo o que colhi extraordinariamente? Descansarei, comerei, beberei e regalar-me-ei, se tenho reservas a perder de vista. Como és insensato! E se tua alma for arrebatada ainda esta noite? Para quem ficará isso tudo que guardastes? Para si mesmo é que já não vai mais ser! Perante Deus, és um pobre de espírito.
Santa Rita de Cássia sempre quis servir a Deus a despeito das circunstâncias da vida a empurrarem em direção a Mamon (significa riquezas materiais e cobiça). Até para testar suas convicções. Precisou oferecer seus dois filhos em sacrifício e imolá-los para recuperar seu verdadeiro destino. Foi preciso ser desmaterializada para entrar em segredo no convento. Buscando a concórdia onde havia guerra marcada pela vingança e retaliação, que dizimou sua família. Transcendeu limitações humanas consideradas impossíveis. Quando não tem nada impossível para Deus. Ainda mais para uma Santa Rita de Cássia, a santa das causas impossíveis. E assim Deus vai lapidando o mundo, rabiscando o novo desenho da realidade, se utilizando de nós, à sua imagem e semelhança, para construir pedra por pedra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antonio Carlos Gaio
Categorias