O que está por detrás da notícia em rápidas palavras
  
  
Recentes
Arquivo
Arquivo
novembro 2021
D S T Q Q S S
« out   dez »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivo Mensal: novembro 2021

COLHER DE CHÁ

Encolher pra ver se cabe na colher de café,
No Tik-Tok, ou no TOC dos outros.
Transtorno Obsessivo Compulsivo por poucas palavras.

Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher
Mas a mulher tem que dar uma colher… Continue lendo

CÓRREGO

Este córrego que corre
Dentro de mim
Toda vez que você me olha
Me molha sim,
Fazendo curvas sem fim
Antes de desembocar no mar.

É o facho do desejo,
Riacho que não vejo,
Mas sinto.
É manifestação da natureza,… Continue lendo

CABIMENTO

Meu armário tá lotado de coisas sem uso,
Enquanto abuso de sentimentos confusos.

Decidi liberar os cabides do que não mais me cabe,
Mesmo que eu desabe de saudade.
Por maior que seja a vontade de voltar a caber neste… Continue lendo

QUANDO VOCÊ FOR MÃE

A família é sagrada sim
Mas ser filha não é um fim
É um meio
Tem muito mais além
Do recheio

Cada ser é um mundo
De contradições e sofrimentos profundos
E às vezes o amor é torto
Por maior… Continue lendo

O ABORTO VIRADO PELO AVESSO

Hoje prevalece sobre o aborto um ponto de vista mais moderno e feminista de que só à mulher cabe dispor de seu corpo e de que se o homem engravidasse, não haveria tanta celeuma.
Mas espiritualmente não é bem assim,… Continue lendo

A MALA DO PASSADO

Eu antes carregava a mala do passado pra tudo que é lado. Era tão pesado o fardo que até me machuquei. Lesão por esforço repetitivo.
Foi então que despertei. Resolvi destrancar a bagagem e tirar tudo dali de dentro. Fui… Continue lendo

TRANSAR TRANSBORDA

A bordo do desejo
Me vejo no espelho
Meu corpo é amor
É puro vermelho
De sangue que pulsa
Na veia aberta da paixão

Transitando entre o sim e o não
Sou toda tesão de vida
De vontade dolorida
De… Continue lendo

CAPÍTULO CLIV – LIBERDADE DE ESCOLHA

Não se pode entregar, inerte, às forças destruidoras. A retribuir violência com violência. Seria perpetuar o ódio e a desregrada ambição no mundo. O Bem renovador, vigilante e operoso é o único dissolvente da maldade, filha da ignorância. Imposição de… Continue lendo

“MARIGHELLA”

Marighella, o filme. A tortura que saía pelo ladrão durante a ditadura militar até hoje perdura na boca imunda de um presidente da República que enaltece torturador. Filme longo que foi objeto de censura e perseguição pelo governo Bolsonaro. As… Continue lendo

EU NÃO SABIA

Não perdi ninguém
Me perdi tentando ter
Quem nunca foi meu

Não fui trocada
Troquei meu lugar ao lado dele
Pelo vão em frente ao espelho

Abri espaço para quem era melhor pra ele
Porque eu precisava ficar só
Para… Continue lendo

EU NÃO ME ACOMODEI

Eu não me acomodei
Apenas acreditei
No que tinham me ensinado

E justo quando tudo deu errado
Comecei a aprender
A ser feliz
Sem seguir o que por aí se diz

Foi quando separei
Que finalmente acordei
Teve dor, é… Continue lendo

COM AFETO PARA O DESAFETO

“Ela não gosta de mim.” Talvez ela tivesse tentado (por causa da obrigatória convivência), talvez até tivesse gostado em algum momento. Coisa que o vento dos desentendimentos manchou.

O que eu gostaria de dizer para esse não amor é… Continue lendo

OS SUICIDAS MAIS ILUSTRES

Uma das imagens mais frequentes ao correr da evolução da Humanidade é a do artista que não resistiu aos altos e baixos próprios de uma carreira instável quando, no auge, embebeu-se com sua criatividade e regozijou-se com sua glória. A… Continue lendo

O ÚLTIMO DUELO

Finalmente de volta às salas de cinema com o certificado de vacinação e três doses, nem bem a pandemia deu um refresco. Aos 83 anos, Ridley Scott, o maior diretor de cinema da atualidade, e que esteve à frente de… Continue lendo

REMÉDIO

remoendo pensamentos
cato os remendos
dos ventos
que passaram por mim
que não têm remédio
nem fim
e sempre me deixam assim: insone

o que me consome tem nome e sobrenome
e precisa de poesia
ela me sacia quando tudo… Continue lendo

DEGUSTAÇÃO A DOIS

Ter você por perto
Me lembra de deixar
O caminho aberto
Para os pequenos
grandes prazeres do dia

Em sua companhia
Degusto o tempo
Sigo seu exemplo
E ressignifico tudo
Dentro de mim

Quero viver assim
Até o fim
Quer… Continue lendo

O QUE COSTUMA MATAR O AMOR

O amor não morre de uma hora para outra. Primeiro, ele se cansa. Inúmeras vezes! Depois se refugia em algum desvão da alma tentando se esconder do tédio no qual a repetição incessante de maus hábitos costuma matar os relacionamentos.… Continue lendo

Categorias